Beladona




Cientificamente chamada de Atropa belladonna, esta erva é sem dúvida uma das mais tradicionais na bruxaria europeia. É rica nos alcalóides atropina e escopolamina. e seu nome tem duas origens curiosas.

O nome Atropa decorre da mitologia grega, onde, segundo a lenda, Zeus e Hera possuíam três filhas, chamadas parcas. Uma dessas parcas tinha o nome de "Átropos a inevitável" e ela cortava o fio da vida, representando a morte. Já o nome belladonna origina-se da prática comum entre mulheres na Itália, na época do Renascimento, de pingar nos olhos o sumo espremido das bagas pretas dessa planta. Esta era uma tola e perigosa prática de vaidade, pois as mulheres dessa época queriam dilatar as pupilas para ficarem com um olhar mais romântico.

Uma curiosidade histórica sobre a beladona ocorreu no Egito Antigo. Quando a rainha Cleópatra decidiu se suicidar ela utilizou a venenosa beladona para fazer extratos e testá-los em seus escravos. A rainha queria ver se a morte por envenenamento seria muito dolorosa!

Hildegarda de Bingen , uma monja beneditina alemã do século XII, dedicou sua vida ao estudo da teologia e de plantas usadas para magia e foi ela quem primeiro demonizou a beladona. Em seus escritos, a monja registrou que a erva "transporta em si o mal e a esterilidade". 

400 anos depois, já no século XVI, documentos da inquisição católica registram que a beladona possuía a propriedade de transformar quem a utilizava em um pássaro, peixe ou ganso. Há registros também, onde aponta-se que esta erva pode fazer a pessoa entrar em transe e relembrar vidas passadas, sendo tais lembranças persistentes. Nessa mesma época, na Inglaterra, Shakespeare, em sua obra “Romeu e Julieta”, cita uma poção mágica obtida da beladona que foi utilizada por Romeu para se suicidar, o que demonstra que a venenosa erva já era muito conhecido em território inglês.

Estudos científicos do século XIX comprovaram que a planta é altamente venenosa para os seres humanos e nenhuma de suas partes deve ser ingerida ou fumada. Entretanto, o que a ciência não explica é como esta erva consegue atingir as pessoas mesmo sem estar em contato com elas!

As bruxas fazem encantamentos para adoecerem suas vítimas com beladona, mesmo estando longe delas. As folhas secas e trituradas, misturadas ao açafrão e à cânfora, constituem um perfume mágico que as bruxas utilizam para provocar loucura e perturbarção em suas vítimas.

Também há, tradicionalmente, feitiços que utilizam um banho mágico de beladona capaz de provocar náuseas, vômitos, pele quente e avermelhada em suas vítimas. Para este encantamento a bruxa não precisa entrar em contato com a vítima, basta mergulhar um objeto da vítima no banho mágico.

A beladona, portanto, é uma erva utilizada para causar o mal, através da magia negra.



DIGITE O QUE VOCÊ QUER SABER



VEJA TAMBÉM ESSAS INTERESSANTES POSTAGENS