Sabbats, os dias de poder






SABBATS, OS DIAS DE PODER

O calendário wiccano possui treze celebrações da lua cheia, os Esbats, e oito Sabbats, ou dias de poder. No total há 21 celebrações ao longo do ano Wiccano.

Os Sabbats são rituais solares e indicam pontos no ciclo anual do sol, constituem apenas a metade do ano de celebrações wiccanas. Apesar de chamarmos "dias de poder", estas comemorações são à noite, por motivos práticos e para gerar um clima de mistério. Os Sabbats, sendo baseados no sol, eram celebrados na aurora ou ao meio-dia, mas hoje quase todos os bruxos preferem comemorar à noite.

Os Sabbats nos contam estórias do Deus e da Deusa, refletindo a sua relação com a natureza e fertilidade da terra e quatro destes Sabbats são determinados pelos solstícios e equinócios, o início astronômico das estações. Os outros quatro são baseados em antigos festivais folclóricos.

Os rituais estruturam e ordenam o ano wiccano e lembra a todos os bruxos e bruxas que estes ciclos de vida existem na natureza muito antes da nossa própria existência e perdurarão por séculos e séculos, sem fim.

Quatro Sabbats eram associados à agricultura e natureza, são eles: Imbolc, Beltane, Lughnasadh e Samhain.
Estes obviamente são nomes celtas e bastante comuns entre os wiccanos.

Os Sabbats são:
  • Yule (21 de dezembro)
  • Imbolc (2 de Fevereiro)
  • Ostara (21 de Março)
  • Beltane (1º de Maio)
  • Litha ou Solstício de verão (21 de Junho)
  • Lughnasahdh (1º de Agosto)
  • Mabon (21 de Setembro)
  • Samhain (31 de Outubro)

YULE (21 de Dezembro)




O Yule é uma época de grande escuridão e este é o menor dia do ano. Povos antigos notaram tais fenômenos e suplicaram às forças da natureza que aumentassem os dias e diminuíssem as noites. O Yule, tradicionalmente, é comemorado pouco antes da aurora e celebra o fim do inverno e início da fartura que virá na primavera. Com o Yule, os wiccanos afirmam sua fé de que sempre após a morte vem o renascimento da vida.

IMBOLC (2 de Fevereiro)




Simboliza o calor que fertiliza a terra (a Deusa), fazendo com que as sementes germinem e brotem. Assim ocorre o início da primavera.
Este é um Sabbat de purificação através das forças do sol, sendo uma comemoração de luz e fertilidade. Antigos povos comemoravam o Imbolc acendendo tochas e fogueiras e os bruchos wiccanos hoje, acendem velas e lâmpadas comemorativas.
Tradicionalmente este é um período para iniciação de novos bruxos e formação de novos covens. Também é neste período que muitas bruxas e bruxos fazem a renovação do ritual  de autodedicação.

OSTARA (21 de Março)




É o equinócio da primavera e assinala o verdadeiro início da primavera. Percebe-se na natureza a súbita mudança, os desabrochar das flores, o despertar de filhotes de animais e o surgimento da vida. A Deusa cobre a terra com seu manto de feritilidade e o Deus se desenvolve e amadurece.
Este é um período mágico para iniciar, agir, plantar para ter ganhos futuros. É a época em que muitos bruxos e bruxas plantam seu jardim de ervas.

BELTANE (1º de Maio)




É marcado pelo ritual dos Maypoles (mastros de maio) que são símbolos fálicos supremos. Muitos bruxos e bruxas acordam cedo neste dia para colher flores e ramos verdes e enfeitar seus mastros. Há os que plantam trepadeiras durante Ostara para que cresçam e se apoiem nos mastros. Assim, durante o Beltane as flores das trepadeiras desabrocham, adornando o Maypole naturalmente.
As flores e folhas simbolizam a Deusa e o maypole o Deus.
O Beltane marca o retorno da vitalidade, da paixão e consumação das esperanças.
Atualmente utiliza-se mais o caldeirão para comemorar o Beltane, sendo ele um símbolo clássico que representa a grande Deusa Mãe.

LITHA OU SOLSTÍCIO DE VERÃO(21 de Junho)




É quando as forças da natureza alcançam seu ponto mais alto. A terra está cheia de fertilidade do Deus e da Deusa.
No passado havia festas celtas onde as pessoas pulavam fogueiras, acreditava-se que estes pulos estimulavam a saúde, fertilidade, purificação do espírito e atraía o amor.
Muitas bruxas e bruxos faziam feitiços de amor e casamento durante este período. o Litha é uma época propícia para todos os tipos de feitiços.

LUGHNASADH (1º de Agosto)




É a época da primeira colheita, quando as plantas da primavera murcham e derrubam seus frutos ou sementes para garantir nosso consumo e para assegurar futuras safras. Misticamente acredita-se que neste período o Deus vai ficando mais fraco e a Deusa observa seu lamento. Ao mesmo tempo, o Deus vive dentro do ventre da Deusa como seu filho.
Esta é a festa do pão, da colheita e de muita fartura. As cozinhas das bruxas e bruxos fervilham com tantos quitutes deliciosos!
Comemoramos a dádiva de ter refeições e a vida e saúde que o alimento nos dá.

MABON (21 de Setembro)




Mais conhecido como equinócio de outono, é a conclusão da colheita iniciada no Lughnasahdh. Celebra o momento em que o Deus prepara-se para abandonar seu corpo físico e renovar-se dentro da Deusa.
A natureza retrocede, diminui sua fartura e recolhe-se preparando-se para o repouso durante o inverno. É um momento de celebração da tranquilidade.

SAMHAIN (31 de Outubro)




O Deus morre para renascer pela Deusa no Yule. É a famosa festa dos mortos ou festa de todos os santos e simboliza um período de sacrifício. 
Na Europa antiga, este era um período de armazenar alimentos para um inverno de muita neve e nenhuma comida. Por isso, em muitos lugares, sacrificava-se animais e para armazenar a carne. O Deus era identificado com estes animais e também morria para garantir a vida.
O Samhain é um período de reflexão, de análise do ano que finda e da própria morte. 
Atualmente recorda-se os entes queridos e até animais queridos que já morreram.


Retirado do Livro "Guia Essencial da Bruxa Solitária" de Scott Cunningham


Assista este interessante vídeo do nosso canal