Instrumentos Mágicos





  • Amuleto

A origem dos amuletos é pré-histórica, em todas as culturas, tanto no oriente como no ocidente, desde tempos remotos até os dias atuais é comum as pessoas utilizarem objetos que acreditam trazer proteção, sorte, saúde, amor, etc. Sendo assim, podemos definir o amuleto como um objeto personalíssimo, confeccionado com variados tipos de materiais (cristais, ervas, búzios, etc.) e com propósitos místicos.

  • Athame

É uma espécie de "faca", uma adaga. Não há precisão quanto a etimologia da palavra athame, contudo, sabe-se que há séculos o athame é utilizado em rituais de magia. Há registros históricos confirmando esta utilização, vez que, antropólogos descobriram um vaso grego datado aproximadamente de 200 anos a.C com gravuras de duas feiticeiras nuas utilizando uma adaga para invocar os poderes da Lua. Uma das mulheres segura uma varinha e a outra, uma adaga. Também foi descoberta uma joia oriunda da Roma Antiga, com a figura de Hecate gravada em uma forma tripla, cujo os três braços estão segurando três símbolos antigos: uma tocha acesa, um açoite e uma adaga mágica.

Atualmente o athame é uma adaga de cabo preto, fundamental para algumas covens. Utiliza-se em rituais para lançar o círculo mágico, controlar espíritos ou traçar emblemas mágicos no ar. No neopaganismo o athame representa o masculino de Deus, sendo o símbolo de sua força e vontade. Acreditam os místicos que quanto mais se usa o athame, mais força e poder ele adquire.

  • Bastão

O bastão também é chamado de varinha mágica. Geralmente, é uma vareta de madeira que pode ser de carvalho inglês ou outras madeiras nobres. Para os pagãos, em sua grande maioria, simboliza o elemento fogo, a força e o poder mágico do feiticeiro que a possui. É um objeto ritualístico com fins próprios. É relacionado ao sagrado masculino, representando a sua força e poder.

  • Boline

Este é um instrumento da antiga Europa, era uma faca de uso comum doméstico com formato de foice arredondada (meia lua). Os antigos celtas utilizavam a boline como instrumento ritualístico, muito importante em seus rituais, principalmente no festival Gui. A boline celta tradicional era de cabo branco, por isso, atualmente, adota-se o mesmo nas religiões neopagãs, como a wicca e o druidismo. A boline é utilizada na wicca para cortar ervas, cordas e outros materiais usados nos círculos mágico. Já no druidismo, a boline é utilizada no lugar do athame, pois os druídas não utilizam esse instrumento, além de ser utilizado para cortar ervas e realizar outros fins mágicos.

  • Caldeirão

Atribui-se o uso do caldeirão às feiticeiras da Grécia antiga, mais precisamente à lenda da antiga bruxa grega Medéia. Esta mulher foi uma bruxa de Colchis e sacerdotisa de Hecate, que se casou com Jasão quando ele buscava o Pomo de Ouro. De acordo com a lenda, Medeia tramou a morte do rei Pelias utilizando o seu caldeirão mágico. Desde então, o caldeirão passou a ser vinculado diretamente à prática de bruxaria.

Originalmente, o caldeirão era um recipiente grande, um grande vaso metálico arredondado, produzido e utilizado pelos povos antigos para aquecimento de água, produção de vapor, cozedura de alimentos, destilação, etc. Apesar de grande, o caldeirão era muito prático devido à sua capacidade volumétrica. Foi substituído, ao longo dos séculos, por panelas menores e mais práticas, embora seu uso na bruxaria tenha continuado.

As bruxas modernas utilizam caldeirões menores, mas com o formato original preservado. Para os wiccanos, o caldeirão deve ser de ferro preto, pois assim mantém a força da tradição histórica. Entretanto, os demais bruxos que não seguem a wicca, às vezes utilizam caldeirões de outras cores e materiais, embora também prefiram o caldeirão tradicional.

Enfim, o caldeirão representa o Sagrado Feminino, o útero da Grande Mãe. É visto como um meio de transformação e está intimamente relacionado às mulheres, pois simboliza a vida e a força feminina de gerar a vida.

  • Cálice

O cálice é utilizado como objeto ritualístico, representa o Sagrado Feminino e o elemento água. O cálice é colocado no altar sempre na posição oeste, que representa a posição da Lua Cheia. A Lua Cheia é a plenitude da Deusa Mãe, simboliza a sua grande fertilidade e poder.

Como a Lua Cheia é a fase da Lua onde ela está mais a Oeste do Sol, formando um ângulo perfeito de 180º, somente quando a Lua está totalmente a Oeste do Sol temos um fenômeno onde a Lua aparece exatamente no momento em que o Sol desaparece, isto não ocorre em nenhuma das suas outras fases, pois a Lua sempre nasce com o Sol ainda brilhando no céu. Por isso o cálice deve ficar no altar sempre na posição oeste.

  • Corda de Bruxa

É um objeto usado na wicca e pode ser uma fita, um barbante ou uma corda mesmo. Representa o cordão umbilical que vincula as bruxas ao outro mundo, é usado em rituais (especialmente no Samhaim) devendo ser trançada usando-se cores específicas de acordo com os propósitos da bruxa. As cores mais tradicionais são: branco (representa harmonia), vermelho (simboliza afastar os inimigos, superar as dificuldades e ter mais coragem), laranja (obter sucesso e prosperidade), rosa (simboliza o amor, atrair o amor), preto (representa a proteção), verde (representa a abundância), amarelo (simboliza a saúde e fortuna).

  • Cornucópia

Este objeto além de muito bonito e rico culturalmente, é um símbolo antigo pertencente a muitas culturas. Era comum os povos antigos utilizarem chifres de carneiro ou de grandes cervos e outros animais fortes para indicar o sinal de virilidade do homens.

Para os pagãos, a cornucópia é um ícone de abundância e fartura. Representa o Sagrado Masculino, sua generosidade e virilidade e ao mesmo tempo, o interior da cornucópia representa o útero, simbolizando o Sagrado Feminino, por isso, nos rituais a cornucópia fica cheia de alimentos, moedas, ervas e outras especiarias indicando grande fartura e abundância.

  • Cristais

Os cristais e as pedras preciosas são sólidos cujos átomos que os constuituem estão em perfeita harmonia organizados num padrão tridimensional bem definido que se repete no espaço, formando uma estrutura com uma geometria específica. Esta organização regular de suas partículas formam por vezes estruturas cristalinas com elevado grau de simetria. Por isso, os cristais e as pedras preciosas, via de regra, permitem a manifestação da luz em forma sólida.

Esta manifestação da luz solidificada é a pura energia luminosa por isso, são os cristais os maiores amplificadores de energia natural, além de serem excelentes condutores. Estas caracterísitcas são utilizadas na tecnologia moderna (composição de fibra ótica, etc.) além do uso místico milenar.

São utilizados por variadas culturas e povos como energizantes, cura de males físicos e psíquicos, relaxantes, etc.

  • Incenso

É uma resina aromática feita de ervas, carvão em pó e essências. É utilizada em rituais para atrair prosperidade, amor, saúde, dinheiro, etc.

  • Livro das Sombras

É um livro utilizado pelas bruxas para fazer anotações de suas práticas religiosas. É um manuscrito e pode ser confeccionado pelo próprio bruxo ou comprado em lojas especializadas. O termo livro das sombras é recente, sendo empregado na wicca em especial.

O livro das sombras de muitos bruxos é uma verdadeira obra de arte, com capas trabalhadas encadernados com tecidos como veludo. Alguns são pintados, com decupagem, com pentagramas de metal colados na capa, etc.

  • Pêndulo

É um objeto sujeito à ação da gravidade sendo móvel em torno de um ponto fixo, teve sua origem na Roma antiga e era utilizado como instrumento de verificação de peso e oscilação.

Para os esotéricos o pêndulo é um objeto divinatório cuja finalidade é captar vibrações e interagir com aquele que o está utilizando. O uso é simples, o operador pergunta e o pêndulo responde sim ou não.

DIGITE O QUE VOCÊ QUER SABER