BUSCA RÁPIDA

BUSCA RÁPIDA

Para tornar eterno um amor e evitar as traições







A Hera é uma trepadeira tipicamente europeia, ela cresce firme e vive por muitos anos. O amor plantado na Hera cresce e prospera com ela!


  • Objetos

1 Plantinha de hera (tem que ser plantada em um jarro, não pode ser a planta morta)
Papel
Caneta vermelha


  • Feitiço

Compre uma plantinha de hera e, na terra, sob suas raízes, enfie um bilhetinho onde você escreveu seu nome e o de seu amor.
Embaixo, escreva também: “Eu, (seu nome), quero que (nome do(a) amado(a)) me ame eternamente e com obstinação, como eterna e obstinada é esta hera.”

Desse momento em diante, a planta da hera crescerá garantindo um amor eterno e fidelidade ao seu relacionamento.

Assista este interessante vídeo do nosso canal

A Lei Tríplice





O conceito da Lei Tríplice como conhecemos surgiu com a wicca. Para aqueles que não conhecem a religião wicca, é comum acreditar que a rede wicca entra em conflito com a Lei Tríplice.

Entretanto, este conflito não existe. Ao contrário, a Lei Tríplice confirma a rede wicca, pois segundo esta, todos somos livres para fazermos o que quisermos, desde que isto não cause mal aos outros.

A Lei Tríplice, por sua vez, prega que tudo que fazemos retorna a nós três vezes mais forte. Claudiney Pietro, em seu livro “Wicca – Ritos e Mistérios da bruxaria moderna”, nos ensina que:

“Quando interferimos no livre arbítrio de uma pessoa estamos efetuando um ato negativo contra a pessoa e contra nós mesmos. Quando um Bruxo faz isso, está trabalhando com a Baixa Magia, e ele pagará caro, pois o Universo nos retribui tudo o que emitimos aos outros numa escala de 3.”

Esta é a única lei da wicca e deixa claro para todos os bruxos que praticar a magia não é o mesmo que interferir na vida alheia. Manipular pessoas, provocar separações e sofrimentos não condiz com os preceitos da bruxaria moderna e aqueles que insistem em realizar estas práticas, sofrerão o retorno do Universo.

Nenhuma energia é perdida, tudo que emana do bruxo a ele retorna!

Até a prática de algo que parece ser uma boa conduta, pode na verdade ser uma grave interferência no destino de outras pessoas e isto desperta a fúria dos Deuses, pois ao encarnarmos temos uma missão, uma vida com lições individuais que devem ser aprendidas para que nosso espírito evolua. A interferência alheia só atrasa e dificulta o ensinamento de cada um.

O bruxo, ou bruxa, deve ficar distante e não se envolver nos problemas e desafios alheios. Interferir com magia para alterar destinos trará graves consequências ao bruxo (ou bruxa).

Um exemplo disso são as pessoas que se apaixonam por pessoas casadas ou comprometidas e realizam feitiços para separar os casais. Estas pessoas estão trazendo uma maldição para as suas vidas, pois o mal que elas causam com a separação, o sofrimento e a dor são frutos do egoísmo e egocentrismo. Os Deuses entendem o mal causado com aquele feitiço e devolvem com uma infelicidade três vezes maior.

Por isso, a pessoa que faz este tipo de bruxaria não conseguirá ser feliz no amor, especialmente com o indivíduo que ela separou de outra pessoa através de magia. Esta pessoa estará condenada pela Lei Tríplice a sofrer com relacionamentos destruídos e com desilusões.

Magia é criada para contemplação dos Deuses, elevação do espírito e prática do bem. As magias de proteção e bênçãos são as que mais enriquecem a vida dos bruxos e bruxas, porque a energia gerada é positiva e harmoniosa.
Portanto, a Lei Tríplice deve ser usada em favor do bruxo ou da bruxa através da prática do bem, pois os feitiços são o centro vivo da prática da bruxaria, seja na wicca ou em outras tradições, e como bem nos ensina Claudiney Pietro: “Feitiço é um conjunto de técnicas e conhecimentos específicos que quando colocados em prática, enviam uma projeção mental ao Universo.”


Assim, o bruxo (ou bruxa) deve entender que os feitiços agem diretamente com a natureza e como tudo nela possui energia (até mesmo o que está morto emana energia), é possível canalizar estas energias para agirem em benefício daqueles que as utilizam. 
O bruxo (ou bruxa) deve ter em mente que não é senhor (ou senhora) da natureza e que ela é forte demais para ser subjugada. Portanto, grandes bruxos e bruxas estão sempre em harmonia com o Universo, apenas usufruindo de todo o poder que aprenderam a utilizar e respeitar.


Scott Cunningham em seu livro “Guia Essencial da Bruxa Solitária”, dá algumas dicas de como o bruxo (ou bruxa) pode utilizar seu poder e evitar punições dos Deuses:

1. O Poder não deve ser usado para gerar danos, males ou para controlar os outros. (Se surgir necessidade para tais atos, o Poder deverá ser usado APENAS para proteger sua vida ou de outros);
2. O Poder só deve ser utilizado conforme as necessidades;
3. O Poder pode ser utilizado em seu benefício, desde que ao agir não prejudique ninguém;
4. Não é sábio aceitar dinheiro para utilizar o Poder, pois ele rapidamente controla o que o recebe. Não seja como os de outras religiões;
5. Não utilize o Poder por motivo de orgulho, pois isto desvaloriza os mistérios da Wicca e da magia;
6. Lembre-se sempre de que o Poder é um Dom sagrado da Deusa e do Deus, e não deve JAMAIS ser mal usado ou abusado;

Os verdadeiros bruxos e bruxas praticam magia para serem abençoados pelos Deuses, para atraírem fortuna e prosperidade para as suas vidas, para viverem com saúde e amor e principalmente, para permanecerem unidos aos Deuses. Estas são magias benéficas e que interferem apenas na vida do próprio bruxo (ou bruxa).


Assista este interessante vídeo do nosso canal