BUSCA RÁPIDA

BUSCA RÁPIDA

Consagração, bênção e o Grande Rito





Toda cerimônia e ritual deve ter a consagração e bênção dos instrumentos mágicos e da comida ritualística. Após traçar o círculo mágico, invocar os elementos e os Deuses, deve-se abençoar e consagrar os instrumentos, amuletos e alimentos. 

Vale ressaltar que tudo deve se encontrar dentro do círculo, pois os(as) bruxos(as) não podem ficar entrando e saindo do círculo com objetos e alimentos. O mesmo se aplica às ervas, pedras, papéis ou demais utensílios a serem usados.

ATENÇÃO: CASO O OBJETO QUE VOCÊ DESEJA UTILIZAR SEJA NOVO (NUNCA FOI USADO) DEVE SER FEITO ANTES O "PRIMEIRO RITUAL DE CONSAGRAÇÃO" PARA APRESENTÁ-LO AOS DEUSES.


CONSAGRAÇÃO E BÊNÇÃO

  • Objetos
Um pires com sal
Um incenso
Uma vela vermelha
Um cálice com água e sal

  • Ritual
Passe o objeto no sal, erga-o com as mãos ao céu e diga:

"Eu te consagro, abençoo e purifico pelos poderes da Terra.
Eu apago sua memória passada para que se torne um objeto do meu desejo
e sirva aos trabalhos da Arte."

Em seguida, passe o objeto na fumaça do incenso e diga:

"Eu te consagro, abençoo e purifico pelos poderes do Ar.
Eu apago sua memória passada para que se torne um objeto do meu desejo
e sirva aos trabalhos da Arte."

Depois, passe o objeto na chama da vela e diga:

"Eu te consagro, abençoo e purifico pelos poderes do Fogo.
Eu apago sua memória passada para que se torne um objeto do meu desejo
e sirva aos trabalhos da Arte."

E por último, respingue algumas gotas de água no objeto e diga:

"Eu te consagro, abençoo e purifico pelos poderes da Água.
Eu apago sua memória passada para que se torne um objeto do meu desejo
e sirva aos trabalhos da Arte."


O GRANDE RITO

Grande Rito é o nome que se dá ao momento da consagração da bebida ritual. Ele geralmente é realizado no final do ritual, mas algumas tradições preferem realizá-lo no início da prática ritualística.

O Grande Rito, também chamado de Grande Casamento ou Grande Ritual, representa a união da Deusa e do Deus e suas bênçãos àqueles que estiverem presentes na cerimônia. Na maioria das vezes, a bebida utilizada para o ritual é o vinho, que simboliza o sangue e a própria vida. 

No entanto, qualquer outro líquido, como água, cidra, chá ou suco de uva, pode ser utilizado com os mesmos propósitos.

  • O Grande Rito para Bruxos(as) Solitários(as)
Segure o cálice com a mão esquerda (lado da Deusa) e o Athame com a mão direita (lado do Deus) e mergulhe-o no vinho. Diga as seguintes palavras:

"O que foi invocado pelo Athame, que fique contido na Taça.
A União da Mãe e do Pai está aqui representada.
Que este vinho traga saúde, sucesso, vida e bênçãos.
Que assim seja e que assim se faça!
Abençoado Seja!"


  • O Grande Rito para Covens
O Sacerdote insere o Athame no Cálice, que é segurado pela Sacerdotisa, enquanto dizem juntos as seguintes palavras:

"O que foi invocado pelo Athame, que fique contido na Taça.
A União da Mãe e do Pai está aqui representada.
Que este vinho traga saúde, sucesso, vida e bênçãos.
Que assim seja e que assim se faça!
Abençoado Seja!"


ABENÇOANDO A COMIDA RITUALÍSTICA


O banquete, como também é chamado, pode ser constituído de alimentos como pães, biscoitos, bolo, frutas e muitos outros, que representam a abundância da Mãe Terra e, quando compartilhados, simbolizam o elo que nos une aos irmãos que partilham as dádivas da mesma Mãe.

  •  Bênção para Bruxos(as) Solitários(as)
Toque os alimentos com a varinha mágica e repita as seguintes palavras:

"Eu abençoo estes alimentos para que tragam abundância e plenitude.
Agradeço sua bondade e generosidade, Oh Grande-Mãe.
Que assim seja e que assim se faça!
Abençoado seja!"

  •  Bênção para Covens
O Sacerdote e a Sacerdotisa tocam juntos os alimentos com suas varinhas mágicas e todos repetem as seguintes palavras:

"Abençoamos estes alimentos para que tragam abundância e plenitude.
Agradecemos sua bondade e generosidade, Oh Grande-Mãe.
Que assim seja e que assim se faça!
Abençoado seja!"


Então, os alimentos são passados no sentido horário para que todos os presentes possam comê-los.


Assista este interessante vídeo do nosso canal

O espírito do lobo





Há uma lenda antiga na Inglaterra que diz que as bruxas transformavam-se em cães ou lobos para atacar ou proteger pessoas.

Uma dessas lendas conta a história de um ladrão que tentou roubar uma casa no ano de 1808. Ao andar em torno da casa o ladrão viu uma janela aberta e pulou para dentro. Mal começou a andar pela casa, ele ouviu um cão rosnando atrás de si e ao virar-se, havia um imenso lobo cinza de olhos amarelos rosnando.

O ladrão fugiu aos gritos e foi preso por um policial na esquina seguinte. Ao ser interrogado, o homem confirmou que estava tentando furtar algum objeto de valor, mas que o morador criava um lobo de estimação.

A policia foi até o local para verificar e todos os vizinhos afirmaram que nunca ouviram ou viram qualquer animal na casa e que lá morava apenas uma velha viúva. Os policiais revistaram a casa inteira e não encontraram nenhum vestígio de qualquer animal, pois a velha senhora não possuíam bichos de estimação.

Contudo, a polícia viu alguns objetos de bruxaria e um livro escrito em uma linguagem estranha e com um alfabeto desconhecido. Assim, a lenda do lobo protetor se espalhou rapidamente e até hoje, muitas bruxas e bruxos invocam-no para se proteger ou atacar alguém.


INVOCANDO O ESPÍRITO DO LOBO


Ouça espírito do lobo 
você que vagueia pelas terras selvagens, 
que persegue suas vítimas nas sombras silenciosas,
que corre e salta entre as árvores cobertas de musgo
Seja meu protetor e dê-me sua força primitiva!

Que os seus olhos do mal me mostrem tudo, 
que meus inimigos sitam a tua presença e fujam de mim,
que tu me acompanhes incansavelmente
e me defenda do mal.

Revele-se das sombras ocultas e ataque os meus inimigos 
espírito feroz,
espírito assassino,
espírito ardiloso e astucioso.

Tu me acompanharás e me protegerás.



Assista este interessante vídeo do nosso canal

Receitas de comidas ritualísticas para o Samhain





No Samhain as bruxas fazem ceias para consagrar aos Deuses e consumir sozinhas ou com o Coven.

Ao contrário de outras religiões, onde a ceia consagrada não pode ser consumida por humanos porque são dos Deuses, no paganismo a ceia é comida pelo bruxo(a) e seus companheiros do Coven.

Entretanto, as comidas ritualísticas não devem ser compartilhadas com não-iniciados. Somente bruxos e bruxas podem comer o que foi consagrado aos Deuses.

Caso o bruxo ou a bruxa não deseje comer a comida ritualística, após consagrá-la aos Deuses, deve enterrá-la em um jardim, floresta, ou qualquer outro local onde a natureza esteja presente. 

As comidas ritualísticas do Samhain devem conter nabos, maçãs e cidra de maçã, abóboras, nozes, poções mágicas com vinhos, carne bovina, carne de porco, aves, cerveja medieval (Ale), Brack Bram Soul (pão escuro ou bolo feito com frutas secas), milho, chá de Artemísia e colcannon (purê irlandês de batata com couve-flor).


RECEITAS

  • Samhain Boxty

Ingredientes
200 g de abóbora cozida e amassada 
3 batatas cozidas amassadas 
1 cebola bem picada
200 g de bacon defumado bem picadinho e frito 
200 g de farinha de trigo 
1 ovo batido 
200 ml de leite 
2 colheres de sopa de manteiga 
sal a gosto

Preparo
Em uma tigela misture a abóbora, a batata, a cebola, a manteiga e o sal. Quando estiver homogêneo acrescente o bacon, o ovo, o leite e a farinha e misture novamente até obter uma massa lisa e homogênea, semelhante a massa de panqueca.  
Em uma frigideira com antiaderente utilize esta massa para fazer as panquecas. 

Quando estiverem prontas, consagre-as ao Deus Pai, pois o bacon simboliza a "caça", o "animal selvagem" que o Deus Pai protege e representa.


  • Colcannon (purê irlandês de batata com couve-flor)

Ingredientes
1 quilo de repolho ou couve, cozido 
1 quilo de batatas cortadas em cubos e cozida até ficarem macias 
2 alhos-poró, bem limpos e picados (ou cebolinha)
200 ml de leite integral
100 ml de manteiga derretida 
sal e pimenta a gosto  

Preparo
Em uma tigela amasse as batatas e tempere com sal e pimenta, amassando até virar um purê macio. Deixe reservado.
Cozinhe a couve ou repolho em água levemente salgada até ficar macio e depois pique em pedaços médios. Reserve.
Em outra panela coloque o alho-poró e o leite e deixe ferver. Quando tiver fervido, abaixo o fogo e acrescente as batatas e a couve ou repolho mexendo por 5 minutos. Após este tempo, retire do fogo e coloque em um recipiente para levar à mesa.

Consagre esta refeição à Deusa Mãe e agradeça pelos vegetais que nasceram e cresceram na fertilidade da terra, que é o ventre da Deusa.

Opcional: 
Na Irlanda, tradicionalmente, coloca-se manteiga no centro do purê antes de servi-lo e quando as pessoas comem, mergulham um pedaço de pão na manteiga pegando um pouco do purê com o pão.

  • Brack Bram Soul (tradicional da Inglaterra)

Ingredientes
4 xícaras de farinha 
1 xícara de leite integral em temperatura ambiente 
2 xícaras de uvas-passa 
2 colheres de sopa de manteiga 
1/2 colher de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de sal 
3/4 xícara de açúcar 
1 saquinho de fermento biológico
1 xícara de groselha seca 
1/2 xícara de laranja cristalizada 
3/4 colher de chá de noz-moscada 
1 ovo

Preparo
Prepare o fermento antes de tudo. Em uma tigela, coloque o fermento em pó, uma colher de chá de açúcar e 1 colher de chá de leite em temperatura levemente morna (30 ºC no máximo, esquente no microondas por no máximo 10 segundos para obter esta temperatura), misture bem e deixe formar uma pasta homogênea cremosa.
Quando o fermento estiver pronto, misture com a farinha, as frutas cristalizadas, o sal, as passas e a manteiga. Quando estiver tudo misturado, acrescente o açúcar, o leite e o ovo e mexa até obter uma massa firme e elástica.
Cubra com um pano e deixe crescer até dobrar de tamanho. Se a sua cidade for fria (temperaturas abaixo de 23 ºC) coloque a massa para crescer dentro do forno desligado.
Quando tiver crescido a massa (cerca de 3 horas de descanso), divida-a ao meio e coloque cada uma das partes em uma forma untada. Cubra com um pano e deixe crescer novamente por 30 minutos. 
Asse em forno a 400 graus por cerca de 40 minutos a 1 hora, verifique espetando um palito para ver se assou completamente. 
Retire e coloque na mesa de oferendas aos Deuses.

Este pão deve ser abençoado pela bruxa ou bruxo antes de ser cortado. Ele simboliza a união entre a humanidade e o divino, que pode ser em vida ou após a morte.


Assista este interessante vídeo do nosso canal